Advogada e professora doutora lança livro

24 de julho de 2017 \\ E aí, papá


 

Será realizado no dia 31 de julho, às 19 horas na Biblioteca Central Julieta Carteado da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS  e no dia 1º de agosto, na Livraria Atlântica da Getúlio Vargas, o lançamento do livro “Parentalidade nas famílias neoconfiguradas: as famílias com padrastos, madrastas e enteados” de autoria da advogada e professora doutora Hilda Ledoux Vargas.

O livro é fruto da pesquisa de doutorado desenvolvida pela autora no programa de pós graduação strictu sensu em Família na Sociedade Contemporânea, da Universidade Católica do Salvador, concluída em 2015. A tese defendida pela autora é a da possibilidade de reconhecimento jurídico da multiparentalidade nas famílias formadas pelo casamento ou união estável, com filhos de um ou de ambos os membros do casal, provenientes de vínculos anteriormente desfeitos pelo divórcio ou viuvez, denominadas pela autora de famílias neoconfiguradas. 

A autora, Hilda Ledoux Vargas, é  professora Assistente do Departamento de Ciências Sociais Aplicadas - DCIS - Colegiado de Direito da Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS; coordenadora do curso de Direito da Faculdade Anísio Teixeira - FAT e membro da Comissão de Estudos Jurídicos da Ordem dos Advogados do Brasil, subseção de Feira de Santana/BA.

 

Temer

Ao desembarcar em Mendonza, na Argentina, para participar da cúpula do Mercosul, o presidente Michel Temer (PMDB) afirmou que o brasileiro vai entender a medida  sobre o aumento da tributação sobre os combustíveis. "A população vai compreender, porque esse é um governo que não mente. Não dá dados falsos. É um governo verdadeiro. Então, quando você tem que manter o critério da responsabilidade fiscal, a manutenção da meta, a determinação para o crescimento, você tem que dizer claramente o que está acontecendo. O povo compreende".


Temer II

A colunista Eliane Cantanhêde, do Estado de S. Paulo, criticou o aumento de impostos determinado por Michel Temer para tentar reduzir o déficit das contas públicas. Segundo Cantanhêde, Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, devem se preparar para a "rebordosa" a partir de agora. "A reação deve vir de três frentes: da oposição, da própria base aliada ao Planalto e da sociedade - do chamado 'cidadão comum', e talvez principalmente, do setor produtivo, que não apenas sofre bastante com a crise como tem dado sustentação desde a primeira hora ao governo Temer. Tudo isso a alguns dias da votação da denúncia de Janot contra Temer no plenário da Câmara", diz a colunista. 

A jornalista aponta outro fator que deve complicar ainda mais a vida de Temer após a escalada da carga tributária. "Além do peso negativo da expressão 'aumento de impostos', que dispensa apresentação mesmo para a camada da população com menor escolaridade, há um outro prato cheio para as críticas à medida: enquanto aumenta os impostos da maioria, o governo abre os cofres para agradar os deputados que vão decidir, em dois de agosto, o destino de Temer", afirmou. 



 

Minha tornozeleira, minha mansão


Alguns presos pela operação Lava-Jato acusados de crimes estão sendo beneficiados com a famosa tornozeleira eletrônica. Uns nem isso. O político baiano Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) nem precisou colocar esse “acessório”. Está cumprindo prisão do’miciliar na sua suntuosa mansão em Salvador.


Minha tornozeleira, minha mansão II

Já o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) furou a fila para poder sair com sua tornozeleira. Ela veio de Goiás. Há vários presos na mesma condição dele, mas esses não têm benesses. Estão na espera!


E aí, papá