A sabedoria dos avós

31 de julho de 2018 \\ O Bispo


No dia 26 de julho, festividade de São Joaquim e Sant’Ana, avós de Jesus, celebra-se o Dia dos Avós. É uma boa oportunidade para homenagear aqueles que merecem todo o nosso respeito e gratidão. É um dia propício para mostrar que somos agradecidos a eles.

OS FRANCESES denominam os avós com uma palavra, a meu ver, belíssima e, sobretudo, significativa: grand-père, grand-mére (grande pai e grande mãe). Dessa maneira, a paternidade envolve toda a família. Pelos avós, a família é acolhida e amada: filhos, netos, bisnetos. Ser avô ou avó é um dom precioso para toda a família. Felizes as famílias que têm os avós próximos!

AS RUGAS dos avós não representam o tempo que passou, mas sua sabedoria: Quanta experiência para nos ensinar, quantos conselhos para nos orientar, quanta paciência para nos ouvir e quanta generosidade para nos ajudar. Serenidade, carinho, sabedoria, confiança e fé são características marcantes dos avós. A fé de nossos avós é a herança mais preciosa que recebemos. A memória de nossos antepassados leva à imitação da fé.

ESSA REALIDADE, felizmente, ainda pode ser vista em muitas famílias. No entanto, também é verdade que, em outros lares, existe pouco respeito entre os membros da família. As condições de vida da sociedade moderna, ainda que cada vez mais atentas às necessidades da terceira idade, fazem que os avós se tornem vítimas, sobretudo da solidão, que é um duro sofrimento.

“OS AVÓS são depositários e, muitas vezes, testemunhas dos valores fundamentais da vida. A tarefa educativa dos avós é sempre muito importante e torna-se ainda mais, quando, por vários razões, os pais não são capazes de assegurar uma presença adequada ao lado dos filhos. A presença dos avós é indispensável nas famílias. Um povo que não respeita os avós é um povo sem memória e, conseqüentemente, sem futuro” (Papa Francisco).

POR TUDO o que foram e que são, especialmente, pelo que representam para muitas famílias, os avós merecem gratidão especial. Pedimos, sobre eles, a proteção de São Joaquim e de Santana, avós de Jesus. Eles cuidaram de Maria, sua filha, e de Jesus seu neto, “que crescia em sabedoria e graça diante de Deus e dos homens”.(Lc. 2,52).


O Bispo