Nossa casa comum

30 de outubro de 2017 \\ O Bispo

Nossa casa comum

Neste final de semana acontece, em Feira de Santana, um Seminário com a participação de lideranças da Bahia e Sergipe, para estudar a carta Laudato Si (Louvado Seja) do papa Francisco que trata sobre o cuidado que todos devemos ter pela Casa Comum, isto é, o Planeta Terra e toda a Criação.

A CARTA do Papa Francisco não trata apenas o meio ambiente de maneira isolada, mas convida a interroga-se sobre os valores que estão na base da vida social. É um reforço significativo à corrente da sociedade que, a muito tempo, grita na tentativa de frear a exploração dos recursos naturais e garantir a sobrevivência do Planeta.

SALVAR o Planeta é salvar os pobres. Eles são as principais vítimas das seqüelas deixadas por invasões de terras indígenas, destruição de florestas, contaminação de rios e mares, uso abusivo de agrotóxicos e de energia nuclear. O Papa denuncia a “incoerência de quem luta contra o tráfico de animais em risco de extinção, mas fica completamente indiferente perante o trafico de pessoas, desinteressa-se dos pobres o procura destruir ser humano”.

COMPREENDEMOS, então, que não podemos iludir-nos de melhorar a nossa relação com a natureza e o meio ambiente, sem cuidar das relações humanas fundamentais.  Essas relações estão doentes e devem ser sanadas. Com efeito, não se pode propor uma relação com o ambiente, prescindindo da relação com as outras pessoas e com Deus.

O CAMINHO para cuidar da Casa Comum – do Planeta Terra – é a educação. Uma boa educação familiar e escolar, em tenra idade, coloca sementes que podem produzir efeitos durante toda a vida. O papa Francisco salienta a importância central da família, porque é o lugar onde a vida, dom de Deus, pode ser acolhida e protegida contra os múltiplos ataques a que está exposta. Quem não cuida da natureza não é cristão.

NO PRIMEIRO capítulo da Bíblia, Deus confia ao homem o cuidado da Casa Comum. A tarefa não foi cumprida. Hoje, o meio ambiente se apresenta com renovadas exigências. Por isso, é bom recordar a velha, mas cada vez mais atual frase: Deus nunca se vinga, os homens às vezes, a natureza sempre. Ou, Deus sempre perdoa, os homens às vezes, a natureza nunca. São Francisco de Assis, patrono da natureza, protegei nosso meio ambiente e abençoai os que o defendem.


O Bispo