• Bahia sai na frente, mas sofre empate no fim e deixa o G-4

Bahia sai na frente, mas sofre empate no fim e deixa o G-4

24 de setembro de 2016 \\ Esportes

O Bahia perdeu uma grande chance de se firmar dentro do G-4. Após ter uma vantagem de dois gols no placar, o Esquadrão cedeu espaço para o CRB nos minutos finais, e ficou apenas no empate em 2x2.

Com o empate em Alagoas, o Bahia perde a chance de ocupar a terceira colocação e cai para a quinta posição, com 40 pontos, sendo ultrapassado por Avaí e Londrina - que venceram e foram a 42. O Tricolor pode perder outra posição ao final da rodada, em caso de triunfo do Brasil.

O JOGO

Após entrar no G-4 na rodada passada, o Bahia foi a Maceió em busca de pontos para seguir ocupando uma das quatro vagas de acesso. Atuando com seu abtual sistema de jogo, com três atacantes, o Tricolor conseguiu abrir o placar logo no começo do jogo.

O Bahia entrou em campo pressionando o adversário para conseguir a posse de bola, e conseguiu. Aos dois minutos, Renato Cajá recebeu passe no lado direito do ataque e cruzou para a área. A bola passou por toda a área alvirrubra e foi cabeceada por Allano, que abriu o placar.

Apesar de abrir o placar no começo do jogo, o Bahia tinha dificuldades para segurar a bola em seus pés. O CRB teve amplo domínio da posse de bola, na primeira metade do jogo (62%). Com dificuldades para trocar passes, o Esquadrão tinha sua defesa bem postada. Os primeiros chutes do time alagoano aconteceu apenas depois de 30 minutos - o mais perigoso em cobrança de falta aos 39.

MMA ou futebol? Aos 44 minutos, Hernane recebeu uma entrada violenta do zagueiro Flávio Boaventura, que acertou um chute no rosto do camisa 9 tricolor, ao melhor estilo Anderson Silva. O árbitro não titubeou e expulsou o jogador regatiano. Com isso, o Bahia foi para o segundo com um atleta a mais.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, com vantagem no placar e no número de jogadores em campo, o Bahia voltou para a partida com uma postura de maior cautela e com Misael na vaga de Allano.

Mesmo com um a menos, o CRB tinha a obrigação de se lançar ao ataque para tentar o empate, mas quem acabou marcando mais um gol foi o Esquadrão.

MAIS UM GOLAÇO DE JUNINHO

Exímio chutador, Juninho acertou mais uma bela pancada de longa distância, esta em cobrança de falta aos 22 minutos, ampliando o marcador e deixando o triunfo perto.

VACILOS DO BAHIA E REAÇÃO DO CRB

Com 2x0 no placar, o triunfo parecia cada vez mais perto para o Bahia. No entanto, um pênalti feito por Tinga, aos 33 minutos, mudou tudo. Zé Carlos cobrou, a bola bateu no travessão, tocou em Muriel e entrou. Começava então a reação alvirrubra.

Não demorou para o marcador ser novamente mexido e mais uma vez com Zé Carlos. Empolgado pelo gol feito antes, o CRB foi ao ataque e empatou aos 40 minutos. O atacante regatiano aproveitou cruzamento na área e definiu o placar com uma finalização que não deu chances para Muriel. O Bahia perdeu uma grande chance de se firmar dentro do G-4. Após ter uma vantagem de dois gols no placar, o Esquadrão cedeu espaço para o CRB nos minutos finais, e ficou apenas no empate em 2x2.

Com o empate em Alagoas, o Bahia perde a chance de ocupar a terceira colocação e cai para a quinta posição, com 40 pontos, sendo ultrapassado por Avaí e Londrina - que venceram e foram a 42. O Tricolor pode perder outra posição ao final da rodada, em caso de triunfo do Brasil.

O JOGO

Após entrar no G-4 na rodada passada, o Bahia foi a Maceió em busca de pontos para seguir ocupando uma das quatro vagas de acesso. Atuando com seu abtual sistema de jogo, com três atacantes, o Tricolor conseguiu abrir o placar logo no começo do jogo.

O Bahia entrou em campo pressionando o adversário para conseguir a posse de bola, e conseguiu. Aos dois minutos, Renato Cajá recebeu passe no lado direito do ataque e cruzou para a área. A bola passou por toda a área alvirrubra e foi cabeceada por Allano, que abriu o placar.

Apesar de abrir o placar no começo do jogo, o Bahia tinha dificuldades para segurar a bola em seus pés. O CRB teve amplo domínio da posse de bola, na primeira metade do jogo (62%). Com dificuldades para trocar passes, o Esquadrão tinha sua defesa bem postada. Os primeiros chutes do time alagoano aconteceu apenas depois de 30 minutos - o mais perigoso em cobrança de falta aos 39.

MMA ou futebol? Aos 44 minutos, Hernane recebeu uma entrada violenta do zagueiro Flávio Boaventura, que acertou um chute no rosto do camisa 9 tricolor, ao melhor estilo Anderson Silva. O árbitro não titubeou e expulsou o jogador regatiano. Com isso, o Bahia foi para o segundo com um atleta a mais.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, com vantagem no placar e no número de jogadores em campo, o Bahia voltou para a partida com uma postura de maior cautela e com Misael na vaga de Allano.

Mesmo com um a menos, o CRB tinha a obrigação de se lançar ao ataque para tentar o empate, mas quem acabou marcando mais um gol foi o Esquadrão.

MAIS UM GOLAÇO DE JUNINHO

Exímio chutador, Juninho acertou mais uma bela pancada de longa distância, esta em cobrança de falta aos 22 minutos, ampliando o marcador e deixando o triunfo perto.

VACILOS DO BAHIA E REAÇÃO DO CRB

Com 2x0 no placar, o triunfo parecia cada vez mais perto para o Bahia. No entanto, um pênalti feito por Tinga, aos 33 minutos, mudou tudo. Zé Carlos cobrou, a bola bateu no travessão, tocou em Muriel e entrou. Começava então a reação alvirrubra.

Não demorou para o marcador ser novamente mexido e mais uma vez com Zé Carlos. Empolgado pelo gol feito antes, o CRB foi ao ataque e empatou aos 40 minutos. O atacante regatiano aproveitou cruzamento na área e definiu o placar com uma finalização que não deu chances para Muriel. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE