• Zé Neto diz que CPI da Cerb 'não tem sentido' na Assembleia

Zé Neto diz que CPI da Cerb 'não tem sentido' na Assembleia

17 de maio de 2017 \\ Geral

Deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Zé Neto (PT) minimizou ontem a intenção da oposição em pedir uma CPI para investigar supostas irregularidades na Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos (Cerb), que fechou um acordo para pagamento de uma dívida com a Odebrecht. “A oposição tem que ficar na dela. Se tem uma coisa que nós fizemos nos governos de Wagner e de Rui Costa é tratar com retidão as coisas públicas, principalmente as relacionadas a casos de corrupção. Se você for ver durante os governos Wagner, tivemos situações na Secretaria de Meio Ambiente, onde algumas pessoas foram presas, na Polícia Militar um coronel foi preso. Isso porque nunca vacilamos com relação à corrupção e a investigar com seriedade a coisa pública”, disse o petista em entrevista à rádio Metrópole. Em delação premiada, o executivo André Vital disse que o governo estadual pagaria à empreiteira R$ 290 milhões, dos quais R$ 30 milhões seriam destinados ao financiamento das campanhas de 2014, 2016 e 2018. “A oposição faz a parte dela, eu só espero que façam a espuma, mas tenham cuidado com os limites para que não se cometa algum excesso”, prosseguiu, acrescentando que não tem sentido criar uma CPI. “Se investigarem, talvez encontrem coisas que não querem encontrar. Então, acho que é bom ficarem quietos no canto deles. Faz parte do jogo da política, respeito muito a oposição, tenho ótimo relacionamento com os deputados de oposição”, ironizou. Em resposta, o deputado estadual Hildécio Meireles (PMDB) disse que “há um fato determinado o que faz a CPI da Cerb inevitável: o delator Cláudio Melo disse que o então governador Jaques Wagner aceitou pagar uma dívida de R$ 290 milhões com a Odebrecht, em troca a empresa repassou para a campanha de Rui Costa R$ 30 milhões. Isso não configura caixa 2, mas sim propina, até porque, o chefe da Casa Civil de Wagner na época era Rui Costa”. “Eles estão com medo. Nós não tememos nada. A oposição não vai ficar quieta, nós queremos barulho. Vamos investigar essa grave denúncia. O ex-governador Jaques Wagner e o governador Rui Costa vão ter todo o direito de fazerem as suas defesas. Agora a acusação é gravíssima e o povo da Bahia quer uma explicação, explicação essa que a Justiça Federal também vai apurar”, completou o peemedebista. As informações são da Tribuna da Bahia. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE