• Cavalo mangalarga marchador é avaliado em Feira de Santana, até este domingo

Cavalo mangalarga marchador é avaliado em Feira de Santana, até este domingo

17 de novembro de 2017 \\ Geral

Até domingo, 19, a Associação Brasileira de Cavalo Mangalarga Marchador vai avaliar animais da raça visando o registro em Livro Aberto – quando não se sabe quem são os pais. A comissão responsável, formada por três técnicos de registro da ABCCMM, vai fazer as observações no Parque de Exposição João Martins da Silva. 

A iniciativa conta com o apoio da Prefeitura de Feira de Santana, por meio da Secretaria de Agricultura. Quase cem animais, sem pedigree documentado, foram escritos para serem avaliados.

São animais que, por algum motivo, não foram registrados – por morte dos pais ou porque os donos não se interessaram. Os técnicos fazem uma avaliação morfológica dos cavalos e éguas, como altura e tamanho da cabeça e observam atentamente a sua pisada. Aprovado, o animal é ferrado com o selo da associação – sempre no braço do lado direito.

Os inspetores, que já estiveram em Salvador e em Itapetinga, observam o perfil do animal. “Se não estiver dentro dos padrões exigidos, não pode reproduzir com animais da raça”, afirmou o inspetor José Augusto Hirst. Os filhos não podem ser registrados na ABCCMM e o seu valor fica bem abaixo do praticado neste mercado. Apenas podem levar os animais à avaliação criadores registrados na associação.

Animais ganham chip e fios de cabelo são retirados para formar banco genético

O Ministério da Agricultura abriu o Livro até 2019, segundo informa Neto Portugal, criador de mangalarga marchador. Assim, os animais passam a ter um histórico mesmo com pais desconhecidos e novo valor de mercado. Os descendentes dos animais aprovados já são inscritos no Livro Fechado.

Depois do ferro com a logomarca da associação, cavalos e éguas ganham um chip – instalado no pescoço, e alguns fios do cabelo do rabo são retirados para a formação do banco genético do animal. Apenas criadores associados podem submeter seus animais às avaliações técnicas. Edward Fisher e Geraldo Coni e Mouro, técnicos de registro, também participaram da avaliações dos animais.

Feira de Santana e região se destacam, em termos nacionais, como grandes criadores de animais desta raça, tanto em termos de quantidade como no aspecto da qualidade dos cavalos e éguas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE