• PMFS: Nenhum estrangeiro que não seja naturalizado brasileiro poderá explorar box no Shopping Comercial Popular, afirma José Ronaldo

PMFS: Nenhum estrangeiro que não seja naturalizado brasileiro poderá explorar box no Shopping Comercial Popular, afirma José Ronaldo

11 de dezembro de 2017 \\ Geral

“O mundo inteiro busca dinheiro na China para investimentos, assim como o Governo do Estado, que tem ido à China constantemente para conseguir financiamento para a construção da ponte Salvador/Itaparica e o Porto de Ilhéus. Os governos de outros estados e o Governo Federal também não têm medo de empresas nacionais se associarem a grupos chineses para executar os seus projetos”.

Com estes argumentos o prefeito José Ronaldo de Carvalho desmentiu, durante entrevista concedida na manhã desta segunda-feira, 11, ao quadro “Na Sala do Povo”, do Programa Acorda Cidade, os boatos espalhados por setores refratários a construção do Centro Comercial Popular, de que o entreposto seria explorado por comerciantes de origem chinesa.

No jornalístico da Rádio Sociedade comandado pelo radialista Dilton Coutinho, José Ronaldo enfatizou, inclusive, que a Câmara Municipal aprovou um Projeto de Lei encaminhado pelo Poder Executivo, proibindo que estrangeiros ocupem áreas comerciais no Centro Comercial Popular, a não ser quer sejam naturalizados brasileiros.

Presidido pelo empresário mineiro Elias Tergilene, a Fundação Doimo, responsável pela construção do Centro Comercial, atua nos ramos de mineração de pedras ornamentais para a Construção Civil, no setor industrial; e na implantação de shoppings populares. Todos estes seguimentos contam com capital italiano, brasileiro e chinês.

No tocante à implantação do Centro Comercial Popular, a Doimo está representada pelo capital brasileiro (Elias Tergilene), e os sócios chineses e italianos. Este fato, entretanto, “não tem nada a ver com o espaço ser direcionado a comerciantes de origem chinesa”, descartou o prefeito.

Embora este tema tenha ganhado destaque durante a entrevista, dada à importância socioeconômica que envolve o investimento, que tem como um dos principais objetivos reordenar o comércio informal nas ruas centrais da cidade, José Ronaldo também respondeu sobre as ações do seu governo, a exemplo das obras do BRT, que segundo ele deverão ser concluídas nos próximos seis meses.

Com transmissão simultânea através da página que o programa mantém no Facebook, a maioria das participações dos ouvintes se referiu às obras contidas no Pacote de Obras lançado na semana passada pelo prefeito, orçado em mais de R$ 35 milhões, sendo cerca de R$ 14 milhões destinados à pavimentação de ruas e praças, na sede e nos distritos.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE