• CMFS: Aula de História marca sessão comemorativa do Dia do Professor

CMFS: Aula de História marca sessão comemorativa do Dia do Professor

16 de outubro de 2018 \\ Geral

Uma aula de História. Assim pode ser definida a palestra proferida pelo professor Josué Melo da Silva Melo, ex-reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) e ex-diretor da unidade de Feira de Santana da Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC). Na sessão comemorativa do Dia do Professor, na noite desta segunda-feira (15), ele falou destacou a importância do professor para a construção de vidas e a implementação das transformações sociais necessárias ao desenvolvimento do país.

“Temos muito a celebrar, porque trata-se de uma profissão milenar e universal, pois abrange todas as civilizações humanas”, disse o palestrante, lembrando que o filósofo Socrates foi professor de Platão e Aristóteles fundou uma escola. “Jesus nos ensinava por meio de parábolas, foi o grande mestre”, frisou, citando ainda educadores como Joaquim Manuel de Mecêdo e Padre Anchieta. “São mais de 25 séculos de história”.

Segundo Josué Melo, o Dia do Professor foi criado por um decreto assinado por Dom Pedro I, em 1827. Anos depois veio a obrigatoriedade do ensino das primeiras letras, hoje ensino fundamental, em todas as cidades, vilas e povoados. Aos meninos era assegurado o ensino das letras, operações matemáticas e noções de Geometria, mas as meninas estavam excluídas desse último segmento. “Não sabiam que anos depois, 90% dos docentes seriam. O certo seria comemorar o Dia da Professora”, ressaltou.

Embora a data seja oficialmente feriado escolar desde 14 de outubro de 1963, há 55 anos, o palestrante admitiu que os sentimentos do professor hoje se dividem entre a convicção de que escolheu uma bela profissão e, ao mesmo tempo, a desesperança, pois estão abalados emocionalmente pela falta de valorização e de apoio social. “Não há respeito, dignidade ou acompanhamento familiar”, disse. Josué citou ainda o exemplo de Josaphat Marinho, que sempre prefiram o título de professor a qualquer outro.

“Falar da qualidade da educação é falar da valorização do professor”, pregou o vereador Luiz Augusto de Jesus, ao saudar os professores presentes, em especial os homenageados da noite. “Ser professor é muito mais do que dar aulas, aplicar e corrigir provas. É uma profissão que requer além de preparo, esforço e conhecimento, dedicação, compromisso e comprometimento”, enfatizou o autor do requerimento para realização da sessão comemorativa.

O presidente da Casa, José Carneiro Rocha, quebrou o protocolo e concedeu a palavra à vereadora Eremita Mota Araújo, que é professora. Ela falou da carreira no Magistério, iniciada aos 19 anos, na cidade de Castro Alves, e destacou a importância do profissional da educação para a construção da sociedade. “Cada dia que passa são maiores as dificuldades para quem escolhe ser professor”, atestou, lembrando que tem ex-alunos nas mais variadas profissões.

Dentre os convidados que lotaram o plenário e a galeria da Casa da Cidadania, as professores Lélia Vítor Fernandes de Oliveira, representando a Academia de Letras e Artes de Feira de Santana; Liacélia Pires Leal, do Instituto Histórico e Geográfico; Tecla Melo; e Ana Rita de Almeida Neves;. Presentes ainda o Coronel PM Adelmário Xavier, ex-comandante do CPRL, e Edmeia Pereira dos Santos, representando o Rotary Clube Novo Horizonte.

A Mesa de Honra da solenidade foi formada pelo vereador José Carneiro Rocha, presidente do Legislativo; Pablo Roberto Gonçalves da Silva, vereador licenciado e atual secretário municipal de Prevenção à Violência, representando o prefeito Colbert Martins da Silva Filho; Ana Paula Morais Soto, chefe de Gabinete da Secretaria Municipal de Educação, representando a secretária Jayana Ribeiro; Ivanbergue dos Santos Lima, diretor do NTE 19; e o palestrante da noite.

Durante a sessão foram homenageados os seguintes professores:

Eveline Souza Pinto (Aldney Bastos – Neinha), Maria Natália Campos Barbosa (Cadmiel Mascarenhas Pereira), Hilda Ledoux Vargas (Cíntia Daltro Machado), Ana Sheila Soares Mascarenhas (Edvaldo Lima dos Santos), Isa Clonilda Santos Miranda Cruz (Eremita Mota de Araújo), Maria das Graças Larceda Fuiza Santos (Fabiano Nascimento de Souza – Fabiano da Van), Lúcia das Virgens Telles (Gerusa Maria Bastos Sampaio), Maria Zenilda Dantas da Silva (Gilmar Amorim de Oliveira), Marcos Antônio Pires (Isaías dos Santos – Isaías de Diogo), Josileide Ramos da Silva (João dos Santos – João Bililiu), Antônia dos Santos Oliveira (José Marques de Messias – Zé Curuca), Bernadete das Virgens da Silva (Luiz Augusto de Jesus – Lulinha), Alfreda Maria Silva Campos Neta Xavier (Roberto Luís da Silva Tourinho), Claudiane de Almeida Silva Selvo (Ronaldo Almeida Caribé – Ron) e Bárbara Borges Sant’Ana Lobo (José Carneiro Rocha).


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE