• Incêndio no residencial começou no térreo, barreira de fogo impediu que moradores saíssem

Incêndio no residencial começou no térreo, barreira de fogo impediu que moradores saíssem

04 de dezembro de 2018 \\ Geral

O incêndio que aconteceu na madrugada desta terça-feira (4), no residencial Iguatemi do Minha Casa Minha Vida, no bairro Mangabeira, em Feira de Santana, o qual provocou a morte de uma pessoa e deixou sete feridas, segundo o Corpo de Bombeiros, começou nos apartamentos da parte térrea e se alastrou para os demais andares.

O prédio tem cinco andares e possivelmente um curto-circuito foi o que ocasionou o fogo. O tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, José Alberto, contou que a guarnição foi acionada pelo Centro Integrado de Comunicação (Cicom), da Polícia Militar, e demorou em média seis minutos do deslocamento até chegar ao residencial. Ele afirmou que de imediato o cenário visto era triste e duas pessoas, uma senhora e uma adolescente, estavam muito queimadas. A jovem morreu no local.

José Alberto relatou que ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas para socorrer as vítimas, que foram encaminhadas para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA).

“Vamos aguardar a perícia técnica para saber a causa. Mas, provavelmente, começou nas unidades de baixo, no térreo. Havia duas motos na saída do prédio e elas ficaram completamente queimadas. Essas motos estavam fazendo uma barreira de fogo e à medida que as pessoas tentavam sair, acabavam retornando. A gente conseguiu salvar uma pessoa que estava no último andar. Inclusive ela ameaçou pular, mas fizemos a contenção e a retiramos em segurança. Fizemos a entrada forçada em 17 apartamentos, procuramos os proprietários, mas não encontramos. Segundo a guarnição que adentrou no prédio, deu curto-circuito em tudo e tinha o risco de fazer a ignição nesses apartamentos. O fogo pegou a coluna de fiação e subiu em todos os apartamentos. Fizemos a entrada forçada para evitar que se alastrasse”, contou.

Reclamações de moradores sobre a demora da chegada do Corpo de Bombeiros

Vários moradores do residencial Iguatemi, que presenciaram a tragédia e o sofrimento das vítimas do incêndio, relataram que o Corpo de Bombeiros demorou aproximadamente 1h para chegar até o local. Segundo eles, a guarnição foi acionada às 5h e só chegou por volta das 6h.

O tenente-coronel José Alberto declarou que o Corpo de Bombeiros quando é acionado trabalha com o tempo de resposta. As pessoas, às vezes, tentam resolver o problema sozinhas e demoram a ligar. Ele frisou que é importante fazer logo o contato com a central.

“Levamos o tempo de 6 minutos, saindo do Tomba até chegar ao residencial. Percorremos uma distância de 10 km em um tempo aceitável”, comentou.


Fonte: Acorda Cidade.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE