• Mortes podem ser evitadas se a população tiver informação, observa coordenador da Defesa Civil

Mortes podem ser evitadas se a população tiver informação, observa coordenador da Defesa Civil

27 de fevereiro de 2019 \\ Geral

“Mortes poderão ser evitadas se a população tiver acesso à informação correta nos casos de tragédia”. A afirmação é do coordenador de Proteção e Defesa Civil de Feira de Santana, Pedro Américo, durante o segundo e último dia – terça-feira, 26 - de palestras da Semana Municipal de Proteção e Defesa Civil, que está sendo realizada no auditório da Faculdade de Tecnologia e Ciência (FTC).

O coordenador lembrou do recente incêndio no Residencial Iguatemi I, do Minha Casa, Minha Vida, no bairro Mangabeira. “As mortes poderiam ter sido evitadas. O desespero das pessoas fez com que elas fossem de encontro ao fogo, ao invés de esperarem pelo socorro do Corpo de Bombeiros”.

Para solucionar o problema, um dos pontos abordados é a criação de Núcleos de Proteção e Defesa Civil nas comunidades, principalmente nos residenciais do programa habitacional. Esses núcleos seriam criados através dos Centros de Assistência Social (CRAS), em um trabalho de parceria com a Defesa Civil.

“Precisamos chamar a população para participar e mostrar a elas como agir nesses casos. Isso através de informações, simulados, etc. Naquele caso específico, o fogo não atingiu os apartamentos. Com a informação, certamente as pessoas ficariam em seus apartamentos, com as janelas abertas, até o socorro chegar. Mortes seriam evitadas”, ressalta Pedro Américo.

Experiências bem sucedidas poderão ser usadas no município

Projetos que deram certo na capital baiana foram apresentados na manhã desta terça-feira pela diretora de Resiliência de Salvador, Adriana Campelo. “É preciso se colocar à disposição para parcerias com a Defesa Civil de Feira de Santana. Utilizando exemplo de ações que já deram certo em nossa cidade e colocar em prática aqui”, destaca.

O coordenador de Defesa Civil de Feira de Santana, Pedro Américo, já vê com bons olhos duas ações: a reforma de residências que estão condenadas com risco de desabamento (Projeto Morar Bem); e o benefício social para famílias que estão em vulnerabilidade em locais com risco de desabamento.

Após debates, documento foi assinado pelos participantes

Após os dois dias de palestras e debates, a Semana Municipal de Proteção e Defesa Civil, que teve como tema “Construindo uma cidade resiliente: a nossa está se preparando, participe!”, rendeu um documento que foi assinado por todos os participantes.

O documento, denominado de Carta de Feira de Santana Resiliente – Programa Construindo Cidades Resilientes, reúne diversas ações que devem ser colocadas em prática para que a cidade esteja preparada para adversidades, sejam elas naturais ou tecnológicas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE