• TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO OCUPAM CÂMARA MUNICIPAL E MANTÊM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO OCUPAM CÂMARA MUNICIPAL E MANTÊM GREVE POR TEMPO INDETERMINADO

11 de março de 2019 \\ Geral

Os trabalhadores em educação da Rede Municipal de Ensino de Feira de Santana, que decretaram greve por tempo indeterminado a partir dessa segunda, 11, ocupou a Câmara Municipal Vereadores para buscar apoio dos vereadores a pauta de reivindicações da categoria que consiste na Reformulação do Plano de Carreira Unificado, o aumento da Função Gratificada (FG) dos diretores que hoje está no valor de R$ 176 reais; a reabertura das negociações sobre os Precatórios do FUNDEF, sendo 60% direito dos trabalhadores em educação e sobre a Alteração de Carga Horária de todos os professores que solicitaram e estão em conformidade com a Lei, o reajuste do piso salarial de 2019, no percentual de 4,17%, além de buscar discutir melhorias na estrutura e condições das Escolas da rede. Durante a sessão, a vereadora Eremita Motta, que atualmente é presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal, entrou em contato com o prefeito Colbert Martins Filho, que se disponibilizou a atender uma comissão formada pela diretoria da APLB Feira, representantes de professores, diretores e funcionários, além dos vereadores da comissão de Educação da Câmara Municipal Eremita Motta, Zé Filé, João Bililiu e o vereador Cadmiel Pereira que acompanhou a audiência. A reunião foi realizada ainda durante a manhã, na Prefeitura Municipal, onde foram discutidos os pontos de pauta. A direção da entidade e os representantes da categoria expuseram todas as questões e o Prefeito tomou nota das discussões. O Prefeito então afirmou que sobre o reajuste do piso salarial de 4,17%, será enviado o Projeto de Lei para a Câmara Municipal, que a Alteração de Carga Horária dos professores de 2016/2017 que solicitaram e estão em conformidade com a lei, será publicada, e que os de 2018 estão em processo para publicação; sobre a Reserva de carga horária o Prefeito informou que irá discutir com a Secretária de Educação de forma a solucionar a questão; sobre os Precatórios do FUNDEF o Prefeito disse que não irá discutir a questão enquanto não tiver um parecer da Justiça; sobre o 5% da Regência de Classe do ensino fundamental II o Prefeito informou que será pago mas não informou a data; e a Reformulação do Plano de Carreira Unificado, o Prefeito do Município solicitou que aguardássemos até sexta-feira, 15, para reunir a comissão e discutir os impactos orçamentários do Plano que foi construído em 2016. Após a audiência com o prefeito Colbert Martins Filho, uma nova assembleia da categoria foi realizada na galeria da Câmara Municipal, onde foram discutidos os pontos da audiência e votado pelos trabalhadores em educação pela manutenção da greve da rede. Os trabalhadores em educação da Rede Municipal precisam que as reinvindicações sejam cumpridas e garantidas, para que a greve seja encerrada, já que o Prefeito havia solicitado prazo de 15 dias para resposta da pauta, em 27 de novembro de 2018 e não o cumpriu, o que abalou a confiança dos trabalhadores em educação no Governo do Município. A categoria construiu uma agenda de mobilização para esta semana, e na próxima sexta-feira, 15, fará uma nova Assembleia, às 14h no Espaço Kilogrill. Aguardamos a reposta do Governo Municipal ainda em greve e esperamos que as reivindicações da categoria sejam atendidas. A GREVE CONTINUA!! APLB SINDICATO, SÓ CONQUISTA QUEM LUTA! Fonte: Diretoria APLB Feira

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE