• Polícia Civil prende suspeito por estupro de vulnerável em Araguacema

Polícia Civil prende suspeito por estupro de vulnerável em Araguacema

30 de outubro de 2017 \\ Polícia

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Araguacema, sob o comando do delegado Antonio Onofre Oliveira da Silva Filho efetuou, na madrugada do último domingo, 15, naquela cidade, a prisão em flagrante de Valdemir Gomes da Silva, 30 anos de idade.

Ele é o principal suspeito de ter praticado estupro de vulnerável contra uma criança de um ano e onze meses, no Assentamento Tarumã,  localizado na zona rural de Araguacema e foi capturado, menos de duas horas após o crime.

Conforme o delegado, por volta das 3 horas da madrugada, ele e sua equipe receberam uma denúncia do Conselho Tutelar do município de Araguacema, informando que uma menina de um ano e onze meses havia acabado de ser estuprada por um morador da região, fato ocorrido em um matagal próximo à residência da menor.

De posse das informações, os policiais civis realizaram o atendimento inicial da vítima no pronto-socorro da cidade, e em seguida empreenderam  diligências com o objetivo de confirmar a autoria do fato, e iniciaram perseguição ininterrupta com vistas à captura do autor.

Após algum tempo, Valdemir foi localizado em sua residência e, ao ser abordado, tentou se esconder da Polícia embaixo da cama, no entanto, os policiais civis perceberam a manobra e realizaram a prisão em flagrante do mesmo. A vítima foi encaminhada para medidas de profilaxia, bem como exames de corpo de delito para constatação de conjunção carnal e avaliação psicossocial.

O indivíduo foi levado à Delegacia e, ao ser ouvido, confessou a prática do crime. Em seguida, ele foi autuado em flagrante pela prática do crime de estupro de vulnerável e, após os procedimentos cabíveis, Valdemir foi recolhido à Cadeia Pública de Araguacema, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

O delegado Antonio Onofre também informou que já representou, junto ao Poder Judiciário da Comarca da cidade, pela prisão preventiva do suspeito.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE