• Troca de comando das companhias deve melhorar trabalho da PM em Feira, diz coronel

Troca de comando das companhias deve melhorar trabalho da PM em Feira, diz coronel

27 de junho de 2018 \\ Polícia

Foi realizada, na noite de terça-feira (26), na Praça da Matriz, a solenidade de passagem dos comandos das 64ª, 65ª e 67ª Companhias Independentes da Polícia Militar (CIPM). A cerimônia foi presidida pelo coronel da PM, Luziel Andrade, comandante do Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL).

O Major PM Claudio Garcia assumirá a 64ª CIPM no lugar do major PM Lúcio José Fonseca da Silva. A 65ª CIPM, que tinha o comando do major PM André Luiz Cavalcante Pereira, passará a ser comandada pelo major PM Hamilton Ferreira Santos. Já a 67ª CIPM será comandada pelo major PM André Luiz Cavalcante Pereira no lugar do major PM Claudio José Nascimento Garcia.

O coronel Luziel Andrade destacou que as mudanças são naturais na Polícia Militar. O objetivo é oxigenar os comandos e melhorar o trabalho.

“A doutrina é a mesma. O que muda é a otimização, no sentido de oxigenar os comandos de cada companhia. Esperamos movimentar com os novos comandantes, com o que eles aprenderam anteriormente e possam aplicar nesse momento. Essa oxigenação é sempre muito válida porque temos a oportunidade de fazer a reflexão daquilo que podemos aplicar de uma forma diferenciada. No primeiro semestre, viemos bem na parte estatística e de resultados positivos e o único mês que foi em junho que nós perdemos a gordura que nós tínhamos. Então é oxigenar para buscar nesse segundo semestre a retomada”.

O major Hamilton Ferreira, que irá comandar a 65ª CIPM, afirmou, em entrevista ao Acorda Cidade, que a companhia está funcionando na sua plenitude e vai buscar manter o que já foi feito pela gestão anterior.

“Vamos buscar implantar os projetos que a gente tem em mente, e com fé em Deus seremos bem sucedidos. A 65ª CIPM caminha a passos largos. Nós temos algumas visões de policiamento particulares que a gente vai buscar implementar. Eu estou fazendo alguns estudos e no momento certo iremos divulgar”, informou.

O major Lúcio José, que deixa a 64ª CIPM para coordenador as operações de todas unidades da região leste, disse que sai com a satisfação de ter feito amigos, um comando justo para a tropa e participativo com a comunidade.

“Esse é o sentido da polícia: ser muito mais social do que militar, e se dispondo à população, porque no momento em que a gente se torna a mão forte, a gente se torna realmente útil pra o que estamos propostos. Saio muito satisfeito em relação ao que a gente construiu e com a certeza que fizemos um bom trabalho”, declarou.

O major Claudio Garcia, que vai assumir a 64ª CIPM no lugar do major Lúcio José, ressaltou que irá avaliar se haverá necessidade de alguma mudança, uma vez que o comando anterior fez um excelente trabalho.

“Eu tenho certeza que pouca coisa acontecerá, já que Lúcio fez o melhor possível pela unidade. O trabalho, a princípio, ficará da mesma forma que ele iniciou. As mudanças são sempre esperadas na PM, e eu não imaginava comandar agora a 64ª, porém veio com grande alegria e vou me esforçar muito para fazer o melhor”.

O major Cavalcante, que deixou a 65ª CIPM para atuar na 67ª CIPM, afirmou que é uma oportunidade comandar uma companhia em Feira.

“Graças a Deus eu estou continuando o trabalho, agora em outra companhia. O que a gente tem mais a destacar são os resultados operacionais. Em 2017, a gente conseguiu reduzir em 20% os índices de CVLIs naquela área de atuação. Aumentamos em 20% o número de apreensões de armas, passando de uma centena as armas apreendidas em 2017. Já em 2018, a gente já estava apresentando no primeiro semestre um aumento de quase 7% de apreensão de armas, e uma redução em torno de 6% naquela região”.

Fonte: Acorda Cidade. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE