• Zé Neto diz que governo Rui não elevou ICMS e reitera culpa do governo federal na crise do país

Zé Neto diz que governo Rui não elevou ICMS e reitera culpa do governo federal na crise do país

25 de maio de 2018 \\ Política

O deputado e líder do governo na AL-BA, Zé Neto (PT) rebateu a crítica do deputado Augusto Castro (PSDB) sobre o aumento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e sugeriu que a oposição quer tirar a culpa da greve do colo do presidente Michel Temer para pôr nos estados. 


“O que levou o preço do óleo e da gasolina foi a política dos golpistas dos últimos anos. Vivamos na Bahia e no Brasil com preço razoável do óleo, gasolina e diesel e com o controle sustentável da Petrobras, produzindo petróleo no Brasil a preço adequado. A politica de Temer começa a comprar óleo e gasolina fora, principalmente nos EUA, os competidores crescem, dominam o mercado e nos desestabilizam. Agora aparecem para dizer que são os estados?”, comentou.


Ao BNews, explicou que “na Bahia o único aumento que tivemos foi de 1% do ICMS (Subiu de 27% para 28%), em 2014, e ainda assim para criar um fundo de recuperação das estradas.  No governo Rui Costa não tivemos nenhum aumento. Muito me admira a Augusto Castro querer dar palpite para jogar a conta no estado, como se a crise fosse gerada pelos estados”, rebateu.  “Eles agora querem tirar a responsabilidade do colo do governo Temer”.  


Zé Neto lembrou que na época da gestão petista a gasolina custava R$2,60, o Diesel R$2,40, o gás custava R$35 a R$40 reais, hoje chega a R$80. “Aumentou nesses últimos dois anos mais do que nos 14 anos do PT”, disse o deputado. O parlamentar ainda cutucou o grupo oposicionista. “A turma do DEM, PSDB, MDB e etc, deveria ter vergonha de aparecer na mídia para discutir esse assunto”. 

Reunião
Nesta sexta-feira (25), o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou após reunião do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), no Palácio do Planalto, que a equipe econômica propôs aos Estados a antecipação de uma mudança na base de cálculo do ICMS que reduzirá o diesel em outros R$ 0,05 no litro. Com isso, a redução total, somando-se a queda na Cide combustíveis )mais a redução na Petrobras, seria de R$ 0,35 no litro do combustível. 


Sobre a proposta, o líder do governo na AL-BA disse que não chegou nada de oficial nem para os estados e nem para a Bahia. “A conta que estamos pagando é fruto dos desmanados de Brasília. Responsabilidade do governo federal e politica equivocada de Temer”, disse.
Zé Neto pontuou, no entanto, que a Bahia está disposta a dialogar.  “Se a proposta chegar, a Bahia não se fecha a nenhum debate, vamos dialogar e contribuir”. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE