• Ângelo Coronel: 'Quem não tem partido forte é difícil galgar vaga em uma majoritária como a de Rui'

Ângelo Coronel: 'Quem não tem partido forte é difícil galgar vaga em uma majoritária como a de Rui'

05 de julho de 2018 \\ Política

Com o nome escolhido para compor a chapa de Rui Costa em detrimento do de Lídice da Mata (PSB), o deputado Ângelo (PSD) Coronel atribui a decisão do governador ao peso do seu partido. Em entrevista ao Acorda Cidade, durante inauguração da nova emergência do Hospital Geral Clériston Andrade, nesta quinta-feira (5), ele afirmou que foi indicado pelo senador Otto Alencar e lideranças da legenda e ressaltou que “quem não tem partido forte é difícil galgar vaga em uma majoritária forte como a de Rui Costa”. Questionado se espera contar com o apoio de Lídice para conquistar uma vaga no Senado, exclamou: “Não tenho a menor dúvida. Lídice é uma figura de grupo, uma grande senadora, e isso aí é uma fase momentânea, essas feridas serão cicatrizadas, porque o nosso partido teve a vaga por ser um partido maior, por isso acho que daqui mais uns dias estaremos juntos com Lídice, todo o grupo do PSB, harmonizado e partindo para a campanha efetivamente”. Sobre a declaração do PSB/Bahia de que a escolha de Rui por Coronel foi um “erro histórico”, ele respondeu que é um equívoco do partido alegar isso. “A história fez com que Otto Alencar se unisse junto com nosso partido a Wagner, quando foi vice, ganhamos as eleições; quando chegou na eleição de Rui Costa, Otto foi senador na chapa e Lídice não foi. Então, acho que esse negócio de história está mal contado, porque temos que ter uma história com sequência, não com intervalos por conveniência própria. A partir do a partir do momento que o nosso partido se uniu a Jaques Wagner estamos unidos até hoje, ajudando nas eleições tanto de Wagner quando de Rui”, assinalou. (Orisa Gomes, com informações do repórter Paulo José)

Fonte: Acorda Cidade 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE