• Rui Costa é alvo em primeiro debate entre candidatos ao governo

Rui Costa é alvo em primeiro debate entre candidatos ao governo

17 de agosto de 2018 \\ Política

O primeiro debate dos postulantes ao Palácio de Ondina confirmou a expectativa: o governador Rui Costa (PT), candidato à reeleição e líder nas pesquisas, foi o alvo preferencial dos outros cinco concorrentes presentes. A TV Band transmitiu o embate inicial dos candidatos na noite desta quinta-feira (16). Os principais embates foram protagonizados por Rui e pelo candidato do Democratas, Zé Ronaldo, que partiu para o ataque, especialmente nas áreas da segurança e da saúde, consideradas por ele as mais frágeis da gestão petista. Rui Costa adotou a defesa de seu governo, atacou a gestão do presidente Michel Temer (MDB) e enalteceu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja candidatura ao Palácio do Planalto deverá ser vetada pela Justiça.

A pergunta de abertura, enviada por leitores do jornal Metro, foi sobre a geração de empregos. Mas, ao invés de apresentarem suas propostas, os candidatos usaram esse primeiro tempo disponível para se apresentar e dar as primeiras “estocadas” nos oponentes. Após esse momento, uma nova pergunta, dessa vez sobre segurança pública e educação, foi formulada a partir de sugestões de telespectadores. Os candidatos aproveitaram para falar sobre seus programas e questionarem as áreas no governo atual.


Além de Rui e José Ronaldo (DEM), João Santana (MDB), João Henrique (PRTB), Marcos Mendes (Psol) e Célia Sacramento (Rede) estiveram presentes no evento. Orlando Andrade (PCO) não foi ao debate porque seu partido não tem o mínimo de cinco representantes no Congresso. 

O debate é o momento que o cidadão tem para saber, de fato, o posicioamento dos postulantes sobre temas relevantes. É o lugar em que os candidatos aproveitam para se apresentar ao público e expor os adversários. As críticas ao governo de Rui Costa foram feitas logo na chegada do primeiro candidato à emissora, o emedebista João Santana, para quem o governo do petista está estagnado. Apesar de afirmar que não pretendia responder aos ataques, Rui defendeu os programas, inclusive afirmando que alguns eram os melhores já realizados do estado, como a entrega de equipamentos para a agricultura familiar e maior investimento na história na contratação de policiais.

Durante o debate, a questão nacional esteve bastante presente. O presidente Michel Temer foi  atacado sobretudo pelo governador Rui Costa. Ao fazer o contraponto,  Célia Sacramento lembrou que o emedebista foi apoiado pelo governo do PT, sendo vice da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Marcos Mendes (Psol) também criticou o governo de Temer e relembrou a morte da vereadora carioca Marielle Franco, sua correligionária. João Henrique por diversas vezes citou o candidato a presidente que ele apoia, Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas sem o ex-presidente Lula.

Questões como a extinção da Cesta do Povo também foram debatidas pelos candidatos. José Ronaldo prometeu dar maior atenção aos funcionários que foram demitidos. O tema da falta de trabalho também foi bastante abordada, como um problema do governo federal, mas também estadual. 

O fechamento do Centro de Convenções foi outro tema abordado por João Henrique, que é contra a construção de dois equipamentos em Salvador – um pelo governo, outro pela prefeitura. 

No segundo bloco, houve embate entre os candidatos em ordem previamente definida. Jornalistas e colunistas da Band sabatinaram os concorrentes. No último e quarto bloco, houve novamente um confronto entre os candidatos, seguido das considerações finais.

Educação e segurança
O primeiro bloco foi dedicado à apresentação dos candidatos. Cada um teve 30 segundos. No segundo bloco, uma pergunta com tema escolhido pelos telespectadores - educação e segurança - foi realizada. Para a educação, Célia Sacramento ressaltou a importância da estruturação das escolas, da ocupação da juventude, da qualificação profissional, além da valorização dos professores.

Ela ainda destacou a necessidade de se implantar assistentes sociais dentros das escolas. Já para a segurança, a ex-vice-prefeita de Salvador ressaltou a importância da qualificação da polícia.“Temos que qualificar a polícia para resolver as ações e resolver as questões da segurança. Nossa juventude está sendo exterminada, temos que ocupar a juventude para resolver a questão da segurança”, defendeu.

O emedebista João Santana destacou a necessidade de investir na economia para melhorar a educação e a segurança púbica. “A atual situação é fruto da realidade socioeconômica do país e do nosso estado. Para resolver, teremos que trabalhar uma série de fatores que envolvem inteligência, aumento da tropa da polícia militar e evitar a influência política na promoção dos militares”.

O governador Rui Costa frizou os programas realizados em seu governo: o Educar para Transformar, o programa de educação profissional, o Programa Primeiro Emprego, o Mais Futuro e o Programa de Estágio. Ele ainda prometeu implantar cursos profissionalizantes em todas as escolas. 

O ex-prefeito João Henrique utilizou um minuto de seu tempo para se apresentar. Quando falou do tema, destacou que a segurança e a educação estão sempre relacionados. Ele apostou na educação em tempo integral e na qualificação dos professores. Henrique aproveitou para criticar o investimento de 10% do PIB do Brasil em educação.

O ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, respondeu que a educação baiana é a pior do Brasil. “A situação da educação a Bahia é tão grave que não há construção de nenhuma escola na Bahia. Não encontrei construção de nenhuma escola no estado. Não há avanços”, disse. Ronaldo ainda destacou a quantidade de mortes violentas do estado - que disse ser “extremamente gigantesco”. “Vou enfrentar esses dois problemas diretamente”, prometeu.

Considerações finais 
José Ronaldo aproveitou o tempo das considerações finais para se apresentar. Esse é um dos maiores desafios do democrata, que é conhecido em Feira de Santana e região. Marcos Mendes criticou Rui Costa e José Ronaldo e afirmou que irá valorizar os servidores. João Henrique, assim como protagonizado no debate eleitoral, trouxe o nome de Deus para a disputa. Ele defendeu ser um político novo com novos paradigmas e ressaltou o apoio ao Bolsonaro.

O governador Rui Costa aproveitou o espaço para pedir votos para Angelo Coronel (PSD) e Jaques Wagner (PT), além de deputados federais e o ex-presidente Lula. "Nós vamos construir outro país. Melhor, que volte a sorrir. As pessoas querem ouvir propostas, soluções para suas vidas". 

João Santana se apresentou, ressaltando que é ficha limpa. "A minha maior preocupação é com o desemprego. Temos que aliar a economia à educação". Célia Sacramento também destacou o desemprego, além da saúde pública. Ela também pediu voto para a presidenciável Marina Silva (Rede). 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE