• ALBA: ANDERSON MUNIZ TOMA POSSE NA ALBA APÓS A RENÚNCIA DE SARGENTO ISIDÓRIO

ALBA: ANDERSON MUNIZ TOMA POSSE NA ALBA APÓS A RENÚNCIA DE SARGENTO ISIDÓRIO

28 de janeiro de 2019 \\ Política

O suplente Anderson Silva Muniz (PTC) tomou posse, na manhã desta sexta-feira (25), substituindo o Pastor Sargento Isidório (Avante), “em respeito aos 30.510 votos que recebeu em 2014”, conforme fez questão de frisar em rápido discurso no gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA). “Apesar do pouco tempo que tenho de mandato, não poderia deixar de tomar posse em respeito aos mais de 30 mil votos que recebi em 2014. Se fosse só por um dia, ainda assim tomaria posse”, afirmou o novo parlamentar, em solenidade conduzida pelo deputado Carlos Geilson (PSDB), 2º vice-presidente da Mesa Diretora e presidente em exercício da ALBA.

Apesar do pouco tempo que terá na Assembleia Legislativa, Anderson Muniz, que também é agente da Polícia Federal,  assegurou que pretende produzir durante o curto mandato. “Vou trabalhar junto com os policiais federais, os rodoviários federais, os militares e os policiais civis em projetos que melhorem a segurança pública de nosso país”, afirmou. Para Anderson Muniz, a segurança pública no Brasil, atualmente, está um caos e precisa ser repensada com urgência. “Hoje, a eficiência da polícia não passa de 4%”, afirmou.

Durante o discurso de posse, o novo deputado agradeceu ao irmão e vereador Carlos Muniz, presidente do PTC, “liderança que sigo e que me colocou na política. Ele que começou na política sem dinheiro já está no terceiro mandato como vereador e acredito que, em 2022, ele estará aqui”, afirmou Anderson, que obteve a sexta suplência na eleição de 2014 pela coligação Unidos por uma Bahia melhor, composta por DEM, PSDB, MDB, SD, PTN, PTC e PROS. Além da área de segurança pública, o deputado Anderson Muniz afirmou que pretende atuar nas áreas de saúde e educação, que “é a base de tudo”.


Também em pronunciamento rápido, o presidente em exercício Carlos Geilson parabenizou o deputado e lembrou que os suplentes assumem em três situações. Quando o parlamentar fica afastado por mais de 120 dias por razões de saúde, quando assume cargos de ministro ou secretário ou quando renuncia ao mandato, como fez o deputado Pastor Sargento Isidório. “Apesar dos poucos dias que tem de mandato, o deputado já afirmou que pretende fazer algo para justificar os votos que recebeu”,  lembrou Geilson.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE