Bastidores & Política

Bastidores & Política

Azevedo Júnior

Confusão instalada

04 de abril de 2016 \\ Bastidores & Política

Há uma quantidade enorme de informações e contra-informações em Brasília sobre o desembarque do PMDB do governo e quem são os ministros deste partido que ficarão nos cargos e os que sairão. A possibilidade dos ministros pedirem licença do partido para permanecerem no cargo não foi aceita pela Executiva Nacional. Quem quiser ficar fica, mas, será expulso do partido. Também poderá deixar o ministério, permanecer no partido e apoiar (indiretamente) Dilma. O caso mais rumoroso envolve a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, a qual diz que fica no governo e no PMDB. A ministra foi flagrada trocando mensagens de texto em que afirma que ela e outros cinco ministros do PMDB pretendem se licenciar do partido para permanecer em seus cargos no governo de Dilma Rousseff. A ministra informou seu interlocutor que a decisão foi tomada na casa de Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado. Renan Calheiros, que já havia sediado a reunião que selou a estratégia de o partido deixar, por aclamação, a base de apoio do governo petista, recebeu os ministros Eduardo Braga (Minas e Energia), Kátia Abreu (Agricultura), Marcelo Castro (Saúde) e Helder Barbalho (Portos) para discutir como eles poderiam burlar a regra estabelecida pelo PMDB de deixar os cargos de confiança do governo.


Acusação

 O deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA) entrou com representação na Procuradoria da República no Distrito Federal contra o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da Frente do Povo Sem Medo, Guilherme Boulos. Na ação, o parlamentar baiano pede apuração de prática de infrações penais. “Em entrevistas à imprensa, o senhor Boulos vem incitando o crime. Com os movimentos que se diz liderar, ele ameaça tirar a paz do país, incendiando-o com greves, ocupações e mobilizações, se houver o impeachment da presidente Dilma e for decretada a prisão de Lula”, diz Aleluia. 


Desenvolver o potencial

Com o objetivo de desenvolver o potencial da Bahia na área energética, o deputado federal João Carlos Bacelar (PTN-BA) encaminhou ofício ao ministro de Ciência e Tecnologia, Celso Pansera, em que defende a instalação do Instituto de Tecnologia de Energia Renovável (Inter) no estado. No documento, o deputado argumenta que a Bahia tem atraído o maior números de parques eólicos no país, possui as melhores condições naturais e a infraestrutura necessária para receber o instituto, em área localizada no município de Camaçari.


Sai Pinheiro do PT

Já era esperada a saída do senador Walter Pinheiro do PT, mas, anunciada, causou um duplo impacto pois deu-se na mesma fase em que o governo perdeu o maior partido de sua base no Congresso, o PMDB. Pinheiro entregou seu pedido de desfiliação da legenda. Ele protocolou também o documento na Justiça Eleitoral. Como a eleição para o Senado é majoritária, o eleito é detentor do mandato, o que impede que o PT entre com processo para requerer a vaga. Decepcionado com os rumos da legenda, o senador já estava afastado das atividades partidárias há algum tempo por discordar dos rumos da legenda e do governo Dilma. Não participava mais das reuniões da bancada ou de encontros partidários. O isolamento de Pinheiro se aprofundou na última eleição de governador, quando sua candidatura foi preterida pelo então governador Jaques Wagner, que preferiu lançar Rui Costa.


A festa foi bonita

Depois da inauguração da Estação de Transbordo Clériston Andrade, mais conhecida como Estação da Lapa, Salvador ganhou uma festa com direito a música, dança e, claro, o bolo com parabéns cantado por toda a população. A cerimônia foi realizada pela comemoração dos 467 anos, na Praça Municipal, com as presenças do prefeito ACM Neto, secretários municipais, vereadores e comerciantes. A banda Didá foi responsável pelo batuque que fez todo mundo dançar, acompanhada do cortejo das baianas que encantaram o público. Dentre os presentes, pessoas apaixonadas pela cidade.


Bastidores & Política