Um castigo de Deus?

30 de abril de 2020 \\ O Bispo

Em uma busca rápida pela internet é possível ver que, diversas pessoas, tem escrito e compartilhado “explicações” sobre os desígnios de Deus a respeito da pandemia do coronavírus. Alguns apresentam a visão de que tudo o que está acontecendo é um castigo de Deus. O que diz a Bíblia sobre essa pandemia e outros acontecimentos tristes da história humana?

SERÁ QUE é Deus quem manda o vírus COVID-19 para castigar e converter o povo? Não é Deus que manda. Esta visão de que Deus castiga e pune não está de acordo com a Bíblia. Deus não quer a morte do pecador, mas que ele se converta e viva. Jesus disse: quero misericórdia e não sacrifício. Deus não manda tragédias e doenças, mas permite com um objetivo maior. Ele permite as conseqüências das ações do próprio homem que hoje, por exemplo, está de certa forma, destruindo a natureza. Deus permite que soframos as conseqüências de nossas escolhas, e de nossas irresponsabilidades.

AOS OLHOS da fé devemos ver a ação de Deus em tudo. Ele está presente em tudo o que acontece mesmo que seja algo, aparentemente, absurdo como a morte de uma criança. A fé nos ensina que tudo concorre para o bem dos que crêem e amam a Deus. “A força de Deus é esta: fazer resultar em bem tudo que nos acontece, mesmo as coisas ruins. Ele está presente em nossas enfermidades e sofrimentos porque, com Deus, a vida não morre jamais” (Papa Francisco).

CREIO, firmemente, que vamos sair melhores dessa pandemia. Ela mostrou como dependemos uns dos outros e como pode melhorar a qualidade de nossas relações e com o mundo, nossa Casa Comum. Uma nova humanidade poderá imergir destes tempos de dores de parto. Os grandes sofrimentos podem ser o caminho para as grandes alegrias. Não esqueçamos: Nossos sofrimentos se unem, aos de Jesus para salvação de todos. Essa é a maneira do cristão ver tudo que acontece no mundo.

SENHOR abençoa, os médicos, os enfermeiros, trabalhadores, transportadores, policiais, sacerdotes,voluntários e muitos – mas muitos – outros que compreendem que ninguém se salva sozinho. Pedes-nos para não ter medo. A nossa fé, porém, é fraca, e sentimo-nos temerosos. Mas tu, Senhor, não nos deixes à mercê da pandemia. Continua a repetir-nos: “Não tenhais medo!” (Mt 14,27). E nós, “confiamos-Te todas as nossas preocupações, porque Tu tens cuidado de nós” (1Ped 5,7).

O Bispo