Você se conhece?

08 de dezembro de 2020 \\ O Bispo

Há séculos, o filósofo grego Sócrates dizia: “Conhecer a si mesmo é a mais difícil de todas as artes e o ponto mais alto da sabedoria”. E Agostinho de Hipona constatava: “As pessoas viajam para conhecer cidades, países e montanhas, mas não conhecem a si mesmos”. Conhecer a si mesmo é o caminho para o sucesso na vida.

CONHECER o próprio lugar faz parte da sabedoria da vida. Uma auto-imagem exagerada ou uma auto-imagem muito baixa não ajudam a viver e conviver. Há pessoas que se imaginam como o centro do mundo e consideram invejosas as que não admitem isso. Outras, se julgam inúteis, sem qualidades, sem sorte, inferiores às demais. Conhecer e assumir o próprio lugar contribui para a maturidade pessoal e sua correta inserção na sociedade.

O POVO simples, em seu linguajar direto, proclama: “Quanto mais atrasada a tribo, mais o cacique se enfeita”. São as “máscaras” que colocamos para esconder nosso rosto. É muito comum a pessoa fingir o que não é. Isso significa não assumir a identidade real. E de tanto enganar os outros acabamos por enganar a nós mesmos. Valorizamos muito aquilo que os outros dizem e pensam de nós. Na verdade, eu sou o que sou diante de Deus.

HOJE, dominamos a técnica e sabemos tudo o que acontece no mundo, mas ignoramos o que está dentro de nós. A cada dia, milhões ficam conectados nas redes sociais. Seguimos, com emoção, os capítulos das novelas e o drama pessoal de cada personagem. Somos ativistas e nos sentimos culpados quando nada estamos fazendo. O silêncio nos assusta, pois temos medo de encarar a nós mesmos.

A VIDA está cheia de compromissos. Porém, cada um de nós tem o direito e o dever de compor a própria agenda e reservar tempos para si. No silêncio, na meditação, no encontro com Deus acabaremos por descobrir a nós mesmos, saber quem somos e qual é nossa verdadeira vocação e missão. Não adianta correr se não sabemos para onde vamos. E tudo acontece dentro de nós. PORTANTO, as coisas materiais são importantes, as tarefas precisam ser feitas, mas temos direito de tempos de férias e isolamento. São esses tempos que acabam por dar sentido às coisas que fazemos. É, sobretudo, no silêncio que está Deus. Somente Ele pode dar significado à nossa vida. Deus é silêncio, Deus é paz. Deus é a chave para entender a nós mesmos, nosso pensar e nosso agir. 

O Bispo