• Aiba e Abapa destinam apoio ao “Setembro Amarelo”

Aiba e Abapa destinam apoio ao “Setembro Amarelo”

20 de setembro de 2019 \\ Geral

Vamos falar de suicídio? Esse é o lema da campanha que visa quebrar o tabu contra um dos assuntos mais difíceis de serem abordados pela mídia. A ideia é trazer o tema para o centro do debate, a fim de conscientizar as pessoas sobre os dados preocupantes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil ocupa o oitavo lugar no ranking dos países com maior número de suicídios. Estima-se que, por ano, cerca de 12 mil pessoas tiram a própria vida, o equivalente a um caso a cada 45 minutos. Diante desta triste estatística, este mês é dedicado à prevenção do suicídio, simbolizada pela campanha “Setembro Amarelo”, cujo objetivo é esclarecer e também combater as motivações das potenciais vítimas.

Sensibilizados com a causa, os produtores rurais do Oeste da Bahia, por meio das associações de classe como Aiba e Abapa, vão apoiar, pela primeira vez, a iniciativa. As entidades doarão camisas para que sejam vendidas e o valor revertido para a implantação do Núcleo de Acolhimento e Valorização da Vida, em Barreiras. A unidade prestará atendimentos psicológico e psiquiátrico gratuitos aos pacientes, ajudando a reduzir drasticamente o número de tentativas e até mesmo de suicídio concretizados.

“Fomos procurados pelos organizadores da campanha aqui em Barreiras e não pensamos duas vezes antes de anunciar a nossa contribuição. Este é o tipo de ação que não podemos ficar de fora, pois trata-se de apoio à vida. Por isso, destinamos apoio irrestrito não só para a aquisição das camisas, mas, sobretudo, ideológico”, defende o presidente da Aiba, Celestino Zanella.

De acordo com o idealizador da campanha, o psiquiatra Francisco Honorato Leite, a ação não é isolada e agrega outras atividades, a exemplo de capacitação profissional e palestras motivacionais em escolas, empresas, órgãos públicos e estabelecimentos parceiros.

“A escola é o grande pilar, onde começamos a saber lidar com o problema, por isso é fundamental o apoio da Secretaria de Educação. Depois da escola, é fundamental levar a discussão para outros centros. É preciso falar sobre o assunto para que possamos ajudar a quem precisa”, pontuou, ressaltando que que a unidade atenderá pacientes de Barreiras e de toda região Oeste.

Ascom Aiba

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE