• Bahia mantém estimativa de safra recorde de 9,9 milhões de toneladas de grãos em 2020

Bahia mantém estimativa de safra recorde de 9,9 milhões de toneladas de grãos em 2020

10 de novembro de 2020 \\ Geral

O décimo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sistematizado e analisado pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan), relativo a outubro, divulgado nesta terça-feira (10), projetou a produção baiana de cereais, oleaginosas e leguminosas em torno de 9,9 milhões de toneladas para este ano, o que representa uma expansão de 19,7% na comparação com 2019 – o melhor resultado da série histórica da pesquisa. Em relação às áreas plantada e colhida, o IBGE projeta uma ligeira retração de 0,7% na comparação anual, registrando, em ambos os casos, uma extensão aproximada de 3,1 milhões de hectares (ha). Dessa forma, a produtividade média dos grãos estimada é de 3,1 toneladas por hectare, cerca de 20,5% superior à do ano passado. “A expansão da safra da Bahia para este ano torna evidente as políticas acertadas do Governo do Estado de estímulo à produção agrícola. Estamos ainda enfrentando a pandemia do coronavírus e, mesmo neste cenário atípico, este é o melhor resultado da série histórica da produção baiana, superior à safra do ano passado”, ressaltou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro. A soja ficou estimada em 6,1 milhões de toneladas, a segunda maior da série histórica do levantamento – inferior apenas à de 2018 (6,2 milhões de ton.). Com isso, houve expansão de 14,3% em relação ao volume produzido em 2019, com área colhida de 1,6 milhão de hectares (2,6% acima da safra anterior) e rendimento médio de 3,8 ton./ha (11,5% maior que 2019). “A safra de milho foi novamente revisada, desta vez para 2,4 milhões de toneladas, em 614 mil ha plantados, representando uma alta de 49,3% em relação a 2019. A primeira safra do cereal foi responsável por 1,8 milhão de toneladas (31,8% acima de 2019), em 363,5 mil hectares. Por sua vez, a expectativa para a segunda safra da lavoura foi ampliada de 615 mil para 650 mil ton., em 250 mil ha, com expressiva alta interanual de 135,5%”, destaca Pedro Marques, economista da SEI. Lavouras A previsão para o feijão, porém, passou de 320 mil para 290 mil ton., o que fez com que se mantivesse no mesmo patamar de 2019. A área plantada totaliza 424 mil ha (8,8% inferior a 2019). A primeira safra de 135,9 mil ton. teve recuo de 21,4% em relação ao ano anterior. A contribuição da segunda safra foi reestimada de 184,2 mil para 154,2 mil ton., alta de 31,1% na comparação anual. Para a lavoura da cana-de-açúcar, o IBGE projeta uma produção de 5,1 milhões de ton., alta de 22,4% em relação à safra anterior. A produção de cacau ficou mantida em 118 mil ton., alta de 12,4% na comparação com 2019. A produção total de café foi revisada para cima, podendo alcançar 246 mil ton. este ano, um crescimento de 36,3% na comparação anual. A safra do tipo arábica ficou projetada em 120,5 mil ton., variação anual de 66,4%; e a do canéfora, em 125,5 mil ton., correspondendo a uma expansão de 16,1% na comparação com 2019. Por sua vez, as lavouras de banana, laranja e uva mantiveram, respectivamente, recuo de 18,3%, 0,7% e 38,8% em relação à safra anterior. A produção de algodão (caroço e pluma) aproximou-se de 1,5 milhão de toneladas, o que representa um patamar próximo ao da safra anterior. A área colhida ficou em torno de 315 mil hectares, correspondendo a um recuo de 5,1% na mesma base de comparação. As projeções ainda indicam uma produção de 963 mil ton. de mandioca, mantendo-se estável em relação à safra anterior. A previsão para cebola é de alta de 3,9% em relação à colheita anterior, totalizando 302,4 mil toneladas. A estimativa para o tomate, no entanto, ficou em 241,2 mil ton., que corresponde a uma retração de 12,5% sobre a safra 2019. Fonte: Ascom/SEI

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE