• Deputado de baixo clero com necessidade de aparecer, diz Dayane Pimentel sobre Daniel Silveira

Deputado de baixo clero com necessidade de aparecer, diz Dayane Pimentel sobre Daniel Silveira

21 de fevereiro de 2021 \\ Geral

O líder do PSD, partido da base aliada do Governo, na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o deputado Diego Coronel afirmou que o estado tem condições financeiras de contrair um novo empréstimo, em resposta às críticas da oposição sobre o crédito solicitado pelo governador Rui Costa (PT), de R$ 1,5 bilhão.

Coronel alega que o governo consegue cumprir as suas obrigações fiscais, mas reconhece que o crédito junto ao Banco do Brasil em um valor tão elevado merece uma discussão mais aprofundada. 

Em conversa com o BNews, ele confirmou que já solicitou uma reunião com o governador e o sua equipe para "explanar" o assunto e dar mais transparência ao processo, para em seguida levar para a AL-BA.

"Solicitei ao líder da maioria que o governo fizesse uma explanação do que seria feito, para todos os deputados terem conhecimento necessário e assim evoluir com esse empréstimo", disse Coronel.

"Por mais que estejamos com dificuldades em razão da pandemia, cumprimos com nossas obrigaçoes rigorosamente e temos uma avaliaço positiva. Mas em específico sobre esse empréstimo, a gente gostaria, eu gostaria, que pudéssemos nos inteirar mais desse processo", acrescentou.

Colega de partido de Coronel, o deputado Alex da Piatã (PSD) questionou o argumento do líder da oposição, Sandro Régis (DEM), de que a Bahia é "má pagadora". O democrata afirmou que a nota C do estado no quesito Capag (Capacidade de Pagamento) do Tesouro Nacional era ruim e que o empréstimo de R$ 1,5 bilhão poderia levar a Bahia à falência.

Para Alex da Piatã, a classificação da Bahia não é ruim, principalmente em comparação com estados mais ricos como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, que receberam nota D, de acordo com último registro de 2019 do órgão.

O deputado vê com "naturalidade" o empréstimo em meio à pandemia de Covid-19 e afirma que o investimento em mobilidade urbana e outras áreas pode ser importante para gerar empregos e movimentar a economia, principalmente com o fim do auxílio-emergencial.

"Vejo com naturalidade, a saúde financeira do estado é uma das melhores do Brasil, um dos melhores índices [....] não vejo nada demais, pelo contrário, não temos histórico de atraso de pagamentos de servidores. Estamos preparados e é um momento oportuno, é uma motivação para que busquemos mais investimentos, que temos muita gente desempregada que precisa se inserir no mercado de trabalho e só vão se tiver investimento", disse Alex ao BNews

Fonte: BNews

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE