• Expo Alagoinhas promete incremento na venda de animais este ano

Expo Alagoinhas promete incremento na venda de animais este ano

31 de outubro de 2018 \\ Municípios

Com uma previsão de 55% em incremento de vendas de animais, a 21ª Expo Alagoinhas promete movimentar o ambiente de negócios na região. Desde a última semana, o Parque de Exposições Miguel Fontes, onde será realizado o evento, recebe os animais que devem participar de leilões, torneios e julgamento de raças.

No último sábado (27), chegaram as primeiras matrizes de gado Girolando, do estado de Minas Gerais, que participarão de disputas válidas para o ranking nacional.

Segundos os organizadores Fernando Rocha, da raça Girolando, Rubens, do Gir Leiteiro, Gustavo Tourinho, criador de Nelore, e Nilton dos Anjos, de cavalos Campolina, há um clima otimista entre os criadores de animais.

Para o secretário municipal de agricultura, Geraldo Almeida, o estímulo aos criadores e empresários do agronegócio também faz parte da evolução do evento, com pleitos de melhorias trazidas ao espaço onde é tradicionalmente realizada a feira. “Desde o ano passado o parque tem passado por melhorias que já o coloca como um dos mais bem aparelhados do estado. É um dos poucos parques de exposições que têm capacidade para a realização de leilões simultâneos e que permite também a realização de dois julgamentos concomitantemente, por dispor de dois redondéis. Os equipamentos extras foram construídos pela atual gestão”, afirmou.

A previsão é de que 650 animais passem pelo local durante os dias de evento e a Secretaria de Agricultura (SEMAG) informou que as inscrições para a exposição agropecuária estão encerradas.

O gado Girolando deve ocupar 151 argolas e o Gir leiteiro, 50. Nos currais, estarão 145 cabeças de Nelore e algumas matrizes de Girolando. No campo dos equídeos, estão reservadas 110 baias para cavalos da raça Campolina e 19 para o Manga Larga Marchador, que estreia a participação na Expo Alagoinhas este ano. Também estarão na feira representantes de gado Senepol.

Em leilões, a estimativa da Secretaria de Agricultura é de que os negócios das raças Girolando e Gir Leiteiro registrem uma evolução de 50%, com mais de R$ 600 mil movimentados. Para os cavalos Campolina, a SEMAG prevê um aumento de 30% em negociações, com um montante de R$ 500 mil em vendas, sem contar a raça Pampa e o gado Nelore.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE