• Material despejado irregularmente em Feira é de empresa que tem Petrobras como sócia

Material despejado irregularmente em Feira é de empresa que tem Petrobras como sócia

19 de novembro de 2019 \\ Geral

A prefeitura de Feira de Santana identificou o produto e a empresa responsável pelo despejo do material na zona rural do município (relembre aqui). A Bio Óleo, que é uma joint venture da Petrobrás que produz biodiesel, assumiu a autoria do fato após uma investigação das autoridades ambientais municipais e disse que não tinha ciência do ocorrido até um motorista confessar que teria conduzido a carga até o local. O material se trata de uma borra de neutralização de óleo de algodão.

 

Conforme noticiou o Acorda Cidade, a carreta bitrem que despejou o produto deveria levá-lo até Ourolândia, no Piemonte da Diamantina, onde seria usado em plantações de mamona, mas foi desviado do percurso e entrou em uma estrada vicinal do distrito de Maria Quitéria. A queda do material na via teria acontecido de maneira acidental, isso porque a tampa da caçamba se deslocou. O motivo do desvio feito pelo condutor da carreta não foi revelado.

 

Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Arsênio Oliveira, char a caçamba ele teve que descartar alguma coisa a mais, que foi aquele produto encontrado na área do areal em maior volume. Ele conseguiu fechar a caçamba e seguiu viagem sem dizer nada para a empresa. A empresa, por sua vez, informou que se estivesse sabendo iria imediatamente coletar o material”.

 

O secretário contou que o processo de identificação aconteceu a partir de uma listagem das prováveis fontes. "Ontem pela manhã fizemos essas visitas. Por amostragem, a gente foi eliminando quem poderia ser, até chegar a uma empresa. À tarde recebi um telefonema desta empresa que avisou que tinha ocorrido esse acidente. Depois que eles viram nos sites e nas redes sociais a foto do veículo, abordaram o motorista que confessou. Segundo o que nos esclareceram, ele não tinha informado a empresa”, disse Arsênio.

 

O condutor foi demitido na manhã desta terça-feira (19) por não ter comunicado o incidente para a empresa. Ele era funcionário de uma transportadora, a JVK transportes de cargas, que também assumiu a culpa pelo descarte e deve arcar, junto com a Bio Óleo, pelos custos da prefeitura com a limpeza. Ambas vão pagar uma multa que pode chegar até R$ 3 mil.

 

Mais de cinco toneladas da borra foram encontradas. De acordo com a pasta do Meio Ambiente, ele não é tóxico.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE